História do NEPE

Em 1996, por iniciativa de um grupo de professoras da FURG, composto pelas professoras Ana Cristina Coll Delgado, Deborah Thomé Sayão, Olga Miranda, Cleuza Maria Sobral Dias, Maria Renata Alonso Mota e Simone Santos Albuquerque, foi criado o Núcleo de Estudo e Pesquisa em Educação de zero a seis anos, um projeto indissociável com o intuito de viabilizar a produção de projetos de ensino, pesquisa e extensão em educação de zero a seis anos, numa abordagem interdisciplinar, possibilitando o intercâmbio entre profissionais de diferentes áreas do conhecimento. Assim através de grupos de estudos, eventos para o debate de temáticas relativas à infância, jornadas de estudos, participação em eventos científicos, trabalho de pesquisas entre outras ações e projetos, o NEPE surgiu com a pretensão de contribuir de forma efetiva para a melhoria da qualidade da Educação Infantil em Rio Grande e municípios vizinhos.

Este núcleo, que é vinculado ao Instituto de Educação da FURG e cadastrado no CNPq, desde 1996, vem desenvolvendo ações com o objetivo de contribuir para o debate e aprofundamento de temáticas relativas às infâncias e à Educação Infantil. Em 1997, pesquisadoras do Núcleo iniciaram um estudo com o objetivo de levantar dados acerca das instituições de Educação Infantil do município do Rio Grande-RS, das profissionais e das crianças que as frequentavam. Os resultados dessa investigação apontaram para o desenvolvimento do estudo denominado Demanda por Creches e Pré-Escolas no Município do Rio Grande. Essas pesquisas iniciais desencadearam outras temáticas a serem investigadas, bem como ações de ensino e extensão voltadas para a formação de profissionais da Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental.

O NEPE apresenta seis linhas de pesquisa prioritárias, a saber: Alfabetização e letramento na infância; Currículo, tempos e espaços educativos; Formação de professores/as da infância; Educação e processos de in/exclusão; Infância, crianças e culturas infantis; Políticas públicas da Educação Infantil. Atualmente, as temáticas investigadas abrangem estudos sobre culturas infantis; articulação entre Educação Infantil e anos Inicias do Ensino Fundamental; processos de formação docente; inclusão das crianças de seis anos no Ensino Fundamental de nove anos; e as lógicas e culturas de educação das crianças pequenas nos contextos familiares. Tais estudos têm ampliado as temáticas de investigação, abrangendo não só as infâncias e a Educação Infantil, mas também os processos de escolarização nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Este movimento resultou, em 2011, que o nome do Núcleo fosse alterado para Núcleo de Estudo e Pesquisa em Educação da Infância.

Ressaltamos que o grupo de pesquisa tem participado ativamente das reformulações dos cursos de Pedagogia da FURG, com o desenvolvimento de pesquisas que têm contribuído de forma significativa para a discussão do currículo destes cursos.

O NEPE tem participado de encontros entre os grupos de pesquisa das diferentes Universidades do sul do Estado, com o objetivo de formar um fórum de discussão sobre a temática das infâncias e da Educação Infantil na região sul do país, compartilhar dados de pesquisas e a produção do conhecimento na área, bem como consolidar-se enquanto campo de produção de conhecimento científico reconhecido no país. Tal ação resultou no desenvolvimento de uma pesquisa interinstitucional, com a participação de diferentes grupos de pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul, com o objetivo de estudar, interrogar e pensar, as linguagens simbólicas como alternativa para a educação das crianças pequenas. Cabe destacar, também, a participação de uma das pesquisadoras do NEPE na pesquisa Consulta sobre a “Qualidade da Educação Infantil” em parceria com a Campanha Nacional pelo Direito a Educação/ MIEIB e Save the Children, consolidando-se num referencial importante para os pesquisadores, professores e gestores que desenvolvem práticas e políticas para as crianças de zero a seis anos.

Além dessas ações destacamos, também, a participação do NEPE nas mobilizações políticas em relação à Educação Infantil através da atuação no Movimento Interfóruns de Educação Infantil no Brasil, participando efetivamente das reuniões do Fórum Gaúcho de Educação Infantil e do Fórum de Educação Infantil do Extremo Sul Gaúcho.